27/12/2018

Gilberto Gil interpreta Louis Armstrong

Em 1967, a voz rouca do cantor e trompetista norte-americano de jazz Louis Armstrong (1901 – 1971) propagou em escala planetária, em gravação lançada em single, as boas vibrações da balada pop What a wonderful world, composição então inédita de autoria de Robert Thiele (1922 – 1996) e George David Weiss (1921 – 2010).

Decorridos 51 anos, Gilberto Gil evoca – com canto também rouco – a interpretação de Armstrong em gravação inédita de What a wonderful world lançada em 25 de dezembro, em single cuja arte da capa expõe o artista baiano no traço de Caio Esgario.

Além das cordas da ST Petesburg Studio Orchestra, regidas pelo maestro Kleber Augusto, a gravação de What a wonderful world com Gil tem os toques dos músicos Dirceu Leite (flauta), Everson Moraes (oficleide), Marcos Suzano (percussão) e Zeca Assumpção (baixo acústico), além do próprio arranjador Sacha Amback no sintetizador.

O tom da gravação é suave, condizente com a vibe zen da letra que se ajusta com perfeição ao espírito natalino.

 

Fonte: G1 Mauro Ferreira