03/01/2019

Após um 2018 consagrado, Silva planeja show em ritmo de carnaval

Silva sai consagrado de 2018. Justamente por ter ampliado o público e o circuito de shows, em movimento de popularização iniciado em 2015 com o show Silva canta Marisa Monte e estendido a partir de maio deste ano de 2018 com o lançamento do álbum Brasileiro, o cantor e compositor capixaba tem sido presença menos destacada em listas de melhores do ano na música brasileira, geralmente voltadas para incensar artistas de visibilidade ainda reduzida que vivem em bolhas.

Contudo, Silva saboreia o sucesso popular – medido em apresentações lotadas que, por vezes, motivaram o artista a fazer sessões extras em algumas cidades do Brasil – e caminha inabalável na tentativa de atingir o maior número possível de ouvintes com música feita com maior apelo pop nos últimos discos.

O próximo passo é pôr na rua o Bloco do Silva, projeto que marca a estreia do cantor no calendário carnavalesco do Brasil com show festivo moldado para a diversão dos foliões.

A ideia é fazer show com astral carnavalesco e com roteiro centrado na abordagem de sucessos alheios de artistas associados à axé music – como a cantora Daniela Mercury e a banda Cheiro de amor – e de medalhões da MPB como Caetano Veloso, Gal Costa e Jorge Ben Jor.

Lúcio Silva, cabe lembrar, vem flertando com os ritmos baianos em músicas compostas com o irmão Lucas Silva, como A cor é rosa (primeiro single do álbum Brasileiro) e a recente Brisa (single avulso lançado no mês de dezembro).

Oficialmente, o Bloco do Silva é conceituado como "mais um passo na intensa jornada de Silva para construir novos caminhos entre tempos e estéticas musicais diferentes".

A estreia do Bloco do Silva será em 24 de janeiro, na cidade de São Paulo (SP). Na sequência, a partir de fevereiro, haverá apresentações do show carnavalesco em cidades como Brasília (DF) e Fortaleza (CE).

 

A julgar pelo sucesso do corrente show Brasileiro, atrás do Bloco do Silva somente não irá quem prefere ficar na bolha...

 

Fonte: G1 Mauro Ferreira