13/05/2019

Jota Quest faz saideira de projeto acústico

Faz dois anos que o Jota Quest entrou no palco armado no Estúdio Quanta na cidade de São Paulo (SP) para gravar, em duas apresentações feitas em 11 e 12 de maio de 2017 para plateia de convidados, um show desplugado – o primeiro da banda mineira no gênero acústico.

A gravação ao vivo deu origem ao CD e DVD Acústico Jota Quest – Músicas para cantar junto, lançado em setembro daquele ano de 2017. Para badalar a edição do disco, a banda caiu na estrada um mês antes, em agosto de 2017, com show que se tornou bem-sucedido e que ainda permanecerá em cena até pelo menos novembro deste ano de 2019.

Para esticar e renovar (mais uma vez) o fôlego do projeto acústico nessa reta final da turnê, Rogério Flausino (voz), Marco Túlio Lara (guitarra), Paulinho Fonseca (bateria), PJ (baixo) e Marcio Buzelin (teclados) rebobinam cinco músicas do repertório do quinteto em EP intitulado Saideira – Acústico sessions e lançado no dia 10 de maio nas plataformas de música do mercado fonográfico digital.

Desde meados de 2018, cabe lembrar, o grupo vem estendendo o projeto acústico com edições de discos que apresentam faixas adicionais. No EP Saideira, entram cinco músicas tocadas nos ensaios e jam sessions do show acústico, mas excluídas da seleção final do álbum.

Trata-se de lados B de álbuns da banda. O repertório do EP é composto por 35 (Heleno Loyola, 1998), Vício (Marcio Buzelin, 1996), Todas as janelas (Rogério Flausino, 2002), Além do horizonte (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1975) – música do repertório de Roberto Carlos, regravada pelo Jota Quest no álbum Até onde vai (2005) – e Palavras de um futuro bom (Rogério Flausino, 2005).

 

 

 

Fonte: G1 Mauro Ferreira