01/07/2019

Fãs escrevem livro sobre Marisa Monte

Alessandra Manzo tinha 11 anos quando foi pela primeira vez a um show de Marisa Monte, em 1989, a convite do tio, Leonardo Netto, empresário da artista. Ao longo desses 30 anos, favorecida pelo privilégio do parentesco com Netto, Manzo nunca perdeu um show da cantora.

Já Lucia Roma chorou muito ao ver o recente show dos Tribalistas em 2018. Era a primeira vez que Lucia via Marisa sem a mãe, com quem assistiu a todos os shows da cantora. Inclusive o primeiro, apresentado no porão da Casa de Cultura Laura Alvin em 1987, dois anos antes de a cantora ganhar projeção nacional com o lançamento do primeiro álbum, MM (1989), e o estouro da gravação de Bem que se quis (E po' che fà) (Pino Danielle, 1982, em versão em português de Nelson Motta, 1989). É que, ao falecer em janeiro de 2018, a mãe de Lucia tinha planos de ver o show dos Tribalistas com a filha.

As histórias de Alessandra Manzo e Lucia Roma figuram entre os 63 relatos do livro Quando eu te conheci, produzido de forma artesanal pelo fã-clube Marisa Monte Clube e Cia, existente há 11 anos. O livro é lançado em e-book nesta segunda-feira, 1º de julho de 2019, dia em que a cantora completa 52 anos de vida.

Idealizado pelo fã-clube para festejar o 52º aniversário da artista, o livro deixa entrever, na sequência de relatos ilustrados com fotos amadoras, a importância da canção Bem que se quis para a construção da sólida base de fãs da artista. São recorrentes as menções a essa gravação que impulsionou a carreira de Marisa ao ser propagada nas rádios.

Foi através de Bem que se quis, por exemplo, que Anna Costa conta ter descoberto a voz de Marisa em 1995 quando a então doméstica descansava após um dia de faxina. Foi nesse mesmo dia que Anna conheceu o homem com quem viria a se casar e a ter filho em relação que teve o cancioneiro de Marisa Monte como trilha sonora dos momentos marcantes.

Quando eu te conheci é declaradamente um livro de fã, produzido sem qualquer rigor editorial. Contudo, por trás do mel que escorre de depoimentos invariavelmente apaixonados, é possível perceber como Marisa Monte irrompeu com força na música brasileira há 30 anos, conquistando o público de imediato e ditando padrões a partir de 1989 com voz referencial que ainda alcança gente de todas as idades e classes sociais.

 

 

 

Fonte: G1 Mauro Ferreira